BOTOX: O uso do toxina botulínica na Odontologia

O Botox (nome comercial), também conhecido como toxina botulínica vem se tornando um ótimo meio auxiliar no tratamento de várias desordens e problemas odontológicos na atualidade.

botox-odontologia


Tem sua ação mais evidenciada na medicina estética e dermatologia, no entanto, após pesquisas científicas foram avaliados e vem se tornando um aliado do cirurgião-dentista trazendo grandes benefícios ao profissional e também ao paciente.

Veja também: ENTREVISTA: Botox na Odontologia - Dra. Priscilla Nobre

A toxina botulínica, é conhecida por disfarçar rugas de expressão e flacidez no rosto, é utilizada também no tratamento odontológico para a resolução dos casos de sorriso gengival, tratamento do bruxismo e dores de cabeça de origem odontológica, dentre outros, ajuda tanto os pacientes que rangem quanto os que apertam os dentes. A substância é aplicada de cada lado da face, nos principais músculos da mastigação para fazê-los perderem a força excessiva. É um tratamento novo que vem apresentando resultados incríveis, ideal para quem não quer mais dormir com a placa protetora nos dentes. O tratamento também é usado para casos de disfunção de ATM e dor orofacial.

O cirurgião dentista possui conhecimento sobre as afecções da face e da cavidade oral e pode fazer a aplicação. No entanto é necessário que possua um treinamento específico e conhecimento sobre sua utilização do botox, não extrapolando suas funções e o utilizando apenas como meio Terapêutico (prescrito na legislação brasileira e autorizado pelo CFO e ANVISA), pois o seu uso na estética é atribuição da medicina.

O BOTOX (TOXINA BOTULINICA) PODE SER ADMINISTRADO COM BONS RESULTADOS EM:

• DTM - Dores e disfunções na articulação temporo-mandibular (articulação próxima ao ouvido).

• Apertamento Dental (parafunção) - ocorre durante o dia.

• Bruxismo - quando se range os dentes durante o sono, involuntariamente.

• Sorriso gengival - quando a gengiva aparece em excesso no sorriso e o torna antiestético.

• Dores de cabeça de origem odontológica.

• Na reabilitação com implantes - principalmente em carga imediata e/ou precoce.

• Tratamentos ortodônticos.

• Hiperatividade muscular.

Fuente: dm.com.br

Tráfico Semanal