Fratura tardia de mandíbula decorrente de exodontia de terceiro molar: relato de caso

A exodontia de terceiros molares é uma das cirurgias mais executadas pelo cirurgião bucomaxilofacial. Como todo procedimento cirúrgico, pode envolver complicações sendo uma delas a fratura de mandíbula. A fratura de mandíbula associada à exodontia de terceiro molar é uma complicação rara que pode ocorrer no trans ou pósoperatório. Quando ocorre no pós-operatório é considerada uma fratura tardia. A incidência da fratura tardia pode variar de 4,6 a 7,5 casos em 1.000. Ocorre normalmente após duas semanas do ato cirúrgico e durante a mastigação, pois nesse período ainda não ocorreu a completa formação óssea na região abordada e o paciente já não apresenta o desconforto pósoperatório, conseguindo mastigar alimentos mais rígidos.




Na maioria dos casos, a fratura apresenta traço simples, pouco deslocamento dos segmentos ósseos e localiza-se na região de ângulo mandibular, que é uma área de baixa resistência à fratura devido a sua área seccional mais fina em relação à área dos dentes e que apresenta o terceiro molar impactado.



Tráfico Semanal