PDF: Associação entre bruxismo infantil e as características oclusais, sono e dor de cabeça

O objetivo desse estudo foi avaliar a associação entre o bruxismo infantil e a relação de caninos e terminal dos segundos molares decíduos, em fase de dentadura decídua.

bruxismo-infantil


A amostra foi composta por 937 crianças de ambos os gêneros, na faixa etária dos 2 aos 6 anos de idade, procedentes de seis EMEIs localizadas no bairro Tatuapé, zona leste da cidade de São Paulo.

Os dados foram coletados por meio de questionários respondidos pelos pais/responsáveis e exames clínicos realizados em ambiente escolar, para a obtenção das características oclusais no sentido anteroposterior. 


Leia também: PDF: Como podemos otimizar a endodontia em dentes decíduos? Relato de caso

Mediante os resultados obtidos, a prevalência do hábito parafuncional do bruxismo infantil foi de 29,3% do total da amostra e as prevalências quanto à relação terminal dos segundos molares decíduos, para o lado direito, foram de 15,4% para o Degrau Mesial, 12,5% para o Degrau Distal e 72,1% para o Plano Terminal Reto.

Já para a relação de caninos, considerando o lado direito, 49,6% para a Classe 1, 45,5% para a Classe 2, 4,9% para a Classe 3. Os lados direito e esquerdo apresentaram-se semelhantes quantos às características.

Não se detectou associação do bruxismo com o tipo de relação de caninos e terminal dos segundos molares decíduos. Contudo, verificou-se que crianças com sono agitado apresentaram 2,4 vezes mais chances de terem bruxismo (P = 0,000) e as crianças com dor de cabeça, 1,6 vezes (P = 0,003).

Tráfico Semanal