PDF: Fatores de risco em radioterapia de cabeça e pescoço

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer bucal foi o sétimo tipo de tumor maligno mais frequente e o nono em mortalidade para ambos os sexos.

radioterapia


Sendo colocado em 3º lugar entre os homens e 4º lugar entre as mulheres, conforme os dados de estimativas e incidências de mortalidade para o ano de 2003 no Brasil. 

Leia também: PDF: Barodontalgia: relato de dois casos clínicos

O câncer de boca tem um número crescente em mulheres e jovens pela exposição aumentada às substâncias carcinogênicas, além da maior aceitação do consumo de cigarro e álcool pelos mesmos. 


A radioterapia é uma modalidade terapêutica para o tratamento loco-regional do câncer que atinge as células neoplásicas, como também as células normais que se encontram na região adjacente ao tumor.

Quando essa radiação se dá na região de cabeça e pescoço, produz alterações reversíveis e irreversíveis dependentes da fonte, do campo e das doses de radiação, ocorrendo principalmente na mucosa, nas glândulas salivares, nas estruturas de suporte dental e nos dentes.

São classificadas em agudas (mucosite ou estomatite) e crônicas (xerostomia, cárie de radiação, trismo, alterações no paladar, dermatite, necrose de tecidos moles e osteorradionecrose). Essas alterações podem ser minimizadas com cuidados odontológicos pré-radioterapia, eliminando os fatores de risco preexistentes.



Tráfico Semanal