Polícia investiga morte de menina que engoliu dente




A família da criança de quatro anos que morreu após engasgar com o próprio dente, extraído em procedimento odontológico, em Ubaitaba, a 380 km de Salvador, afirma que é a favor da exumação do corpo da menina.

Em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (6), Ana Paula Bispo, tia da criança, disse que a família espera que, com a perícia, seja possível saber a causa da morte e dar um desfecho ao caso.

Nós queremos saber a verdade e que a justiça seja feita. Não queremos culpar ninguém sem saber o que foi. Cada vez que ouvimos falar sobre isso, sofremos, contou a tia. A menina morreu no dia 29 de julho e foi sepultada no dia seguinte.

Na terça-feira (5), Miguel Francisco Cicerelli, delegado responsável pelo caso, informou que fez o pedido de exumação à Justiça para que seja realizado um exame mais detalhado no corpo da menina. Segundo ele, não há prazo para que a solicitação seja apreciada.


Ana Paula conta que a família continua abalada com a morte e que a mãe da menina está em estado de choque. Está sendo muito difícil para todos. Sofremos muito com tudo isso. A mãe dela não consegue falar, não come, não dorme. O pai ainda está indo para o trabalho, mas também não consegue falar sobre isso, lamenta a tia.

A tia conta que não conhecia a dentista, mas acredita que houve erro no atendimento. A doutora que tratava a criança era outra e essa estava substituindo ela. Eu não a conhecia, foi a mãe da minha sobrinha que levou ela. Ela disse que minha sobrinha não foi para arrancar dente, mas para fazer limpeza. Lá, a dentista disse que precisava extrair. O pessoal do posto também disse que lá não tinha anestesia de criança e ela tomou de adulto, relata, opina.

Disseram que, na hora que a menina engoliu [o dente], ela disse para não se preocupar, que era normal. Poucos momentos depois, a menina caiu e começou a se bater, começou a se tremer e a se sentir mal. Foi quando ligaram para ambulância, mas minha sobrinha morreu antes de chegar no hospital. Nós achamos que houve algum procedimento errado, completa a tia.

No entanto, o delegado Miguel Francisco Cicerelli afirma que, em depoimento, a mãe da menina informou acreditar que não houve erro a dentista. As pessoas que ouvimos disseram que a dentista fez tudo que podia, que foi um acidente. Parece que a própria dentista não queria atender a criança, mas a família insistiu. Nós vamos ver com a exumação se a queda do dente foi suficiente para a morte. Ainda não dá para dizer nada mais enquanto não tivermos resultados dos laudo, disse o investigador.

O G1 tentou contato com a dentista responsável pelo atendimento à criança na manhã desta quarta-feira, mas as ligações não foram atendidas. O delegado informou que algumas pessoas já prestaram depoimento sobre o caso e que a dentista será a última pessoa a ser ouvida.


Artigos Relacionados

Tráfico Semanal