PDF: A influência do fumo sobre a condição periodontal

Este trabalho teve como propósito avaliar a condição periodontal e o nível de higiene oral em pacientes fumantes e não fumantes.

periodontia


Trata-se de um estudo prospectivo, no qual foram examinados 30 pacientes, 15 fumantes (Grupo I) e 15 não fumantes (Grupo II), os quais foram submetidos a um questionário e a exames para se determinar o Índice de Higiene Oral Simplificado, a Perda de Inserção Periodontal, a Recessão Vestibular e Lingual ou Palatina e a Mobilidade dentária.

► Leia também: PDF: Manifestações bucais em pacientes portadores de Diabetes Mellitus: uma revisão sistemática

No Índice de Higiene oral Simplificado, 53,3% do Grupo I e 63,7% do Grupo II demonstraram higiene oral regular. No que diz respeito ao Índice Gengival, o Grupo I e o Grupo II apresentaram gengivite leve em 86,7% e 66,7% dos casos, respectivamente. No Grupo II, 20% dos indivíduos exibiram gengivite moderada e 33% periodontite, enquanto que no Grupo I apenas 13,3% apresentaram gengivite e 14% periodontite. 

Quanto ao Índice de Perda de Inserção, o Grupo I revelou uma maior perda de inserção do que o Grupo II, onde apenas 4,4% apresentaram perda variável entre 9-11mm, ocorrendo predominantemente na região de incisivos inferiores (60%).

A recessão vestibular no Grupo I foi observada em 61,2% dos indivíduos e no Grupo II em 38,8%. Já a recessão lingual esteve presente em 70,9% dos indivíduos do Grupo I e em 29,1% do Grupo II. A mobilidade dentária ocorreu apenas no Grupo I, sendo verificada em 100% dos casos, com 57% dos pacientes exibindo grau II e 43% grau I. Os resultados demonstraram que os pacientes do Grupo I exibiram mais recessão gengival e mobilidade dentária e maiores índices de Higiene Oral Simplificado e de Perda de Inserção Periodontal do que aqueles do Grupo II, confirmando assim a influência negativa do fumo sobre a condição periodontal.



Tráfico Semanal

ANF

Get our newsletter