PDF: Relação diagnóstica entre folículo pericoronário e cisto dentígero


Diferentes lesões do complexo maxilo-mandibular têm aspecto radiográfico de lesão cística apresentando uma imagem radiolúcida de formato elipsóide e halo radiopaco bem definido.



Deste modo, torna-se difícil a diferenciação entre essas lesões, quando o cirurgião-dentista baseia seu diagnóstico unicamente em características radiográficas. 

Como exemplo, podem-se citar as imagens do folículo pericoronário e do pequeno cisto dentígero que se mostram radiograficamente semelhantes.

► VÍDEO RECOMENDADO: O cisto dentígero é o segundo cisto odontogênico mais frequente nos maxilares. É uma lesão benigna, derivada do epitélio odontogênico da coroa de um dente não erupcionado, porém de etiopatogenia incerta. São geralmente radiotransparentes e, mais comumente, uniloculares.

O folículo pericoronário é uma estrutura anatômica que se origina do epitélio reduzido do órgão do esmalte e do folículo dentário, apresentando-se, histologicamente, como uma membrana de tecido conjuntivo denso, frouxo ou mixomatoso, que contém restos de epitélio odontogênico.

Encontra-se preso ao colo dentário e envolve a coroa de dentes não irrompidos. Segundo Daley & Wysocki, o folículo pericoronário pode ser observado, em maior escala, nos terceiros molares inferiores de indivíduos do gênero feminino que estão no final da segunda década de vida.