PDF: Transplante Dentário: Atualização da literatura e relato de caso


Apesar dos grandes avanços da odontologia, com consequente diminuição das indicações de exodontia por doença periodontal e cárie, a prática da remoção de dentes que podem ser tratados de forma conservadora ainda é rotineira em locais onde a condição sócio-econômica é desfavorável.



As terapêuticas possíveis frente a um dente perdido são geralmente por reabilitação protética, implantes e ortodontia, todavia são tratamentos que geralmente dependem de condição financeira. Desse modo, o transplante dental surge como uma opção de tratamento a todas as camadas sociais, sendo denominado por alguns pesquisadores de "prótese biológica".

As principais indicações para a transferência de um dente natural do seu alvéolo para outro sítio estão relacionadas a cáries extensas, reabsorção radicular, doença periodontal, fratura coronorradicular, agenesia e aplasia de dentes, dentes inclusos. A técnica cirúrgica deve ser minimamente traumática para melhor prognóstico do dente a ser transplantado, uma vez que o ligamento periodontal não deve ser manipulado, por ser necessário à reparação dos tecidos periodontais.


O transplante dentário é a substituição de um dente perdido ou ausente por um dente transplantado, geralmente um terceiro molar. Esse tipo de transplante autógeno foi documentado pela primeira vez por Hale, sendo que, até os dias atuais, os princípios dessa técnica cirúrgica são praticamente os mesmos, sendo um procedimento clínico que vem sendo realizado com sucesso, em reabilitação bucal.






Tópicos relacionados